Sou corno e viado, e daí?

Um conto erótico de Ricardo
Categoria: Grupal
Data: 22/10/2004 21:00:39
Nota 8.73
Assuntos: Grupal

Sou corno e viado, e daí? A um mês descobri este site de contos eróticos e constatei que tem muitos casais numa situação semelhante a nossa e resolvi escrever. Alguns amigos não entendem o tipo de vida que levamos e como suporto as traições da minha esposa. O que eles não entendem é que não são traições, mas sim uma maneira de viver diferente da deles. Eu e Sandrinha somos casados a 20 anos, não tivemos filhos. Estou com 48 anos e ela com 39. Ela continua uma garota linda, super bem cuidada, o corpo perfeito com a ajuda de algumas plásticas e muito exercício. Não faço nenhuma economia quando se trata de minha esposa, pois é para isso que eu trabalho tanto, para que ela tenha sempre tudo do bom e do melhor. Sou dentista, bem sucedido, e consegui formar um patrimônio sólido com duas fazendas onde crio gado e planto café, milho e laranja. Algumas casas e escritórios alugados, dinheiro emprestado a juros e o rendimento da minha profissão, que não é nada mal. Enfim, temos uma situação financeira muito confortável. Os primeiros 3 anos de nosso casamento foram muito conturbados, com muitas brigas e muita cobrança por parte da Sandrinha. Eu sempre fui um homem pacato e nunca liguei muito pra sexo, ao contrário dela, que é um vulcão em erupção. O fato de nos amarmos muito só piorava a situação, pois ela me cobrava uma atitude que eu não conseguia ter, como por exemplo relações sexuais quase todos os dias. Eu simplesmente não consigo ter e manter a ereção apesar de ama-la demais. Ela foi ficando cada vez mais insatisfeita e começaram a surgir os primeiros amantes. Para não brigar ainda mais, eu fingia não saber de nada, apenas ficava de olho para não ser pego de surpresa se ela se apaixonasse realmente por algum daqueles homens. Mas isso nunca aconteceu, graças a Deus. Passamos mais de 10 anos nessa situação. Ela com seus encontros e eu me fazendo de tonto. Tínhamos relações duas a tres vezes por mês, muitas vezes com ajuda de consolos (que passamos a colecionar) e no resto do tempo ficava tranquilo sabendo que de uma maneira ou de outra ela estava satisfeita. Certo dia cheguei em casa com muito desejo e decidido a trepar, mas ela não estava. Esperei-a tomando um uísque e mal ela chegou, atirei-me sobre ela, louco para dar um chupão naquela xoxota rosada e peladinha (ela a mantém sempre depilada, sem nenhum pelinho). Ela tentou se desvencilhar, mas não dei chance. Arranquei sua calcinha e percebi que estava meio molhada, e quando toquei sua racha com a língua percebi um gosto diferente. Gosto de porra. Lambi de novo, enfiando a língua lá dentro, entrou com facilidade, pois estava toda aberta e vermelha. Suguei para me certificar de que era aquilo mesmo, não havia dúvida. Sua buceta estava cheia de porra e eu sentia o gosto em minha boca. Meu pau endureceu na hora e eu chupava com mais e mais vontade, fazendo-a gozar duas vezes seguidas em minha boca. Virei-a de bruços e enterrei meu pau na sua xana. Trepei como nunca havia trepado, como um animal, fodendo-a a com força até gozar. Ela não disse uma palavra. Estava meio assustada com a situação, mas deixou-se levar. Depois de tirar meu cacete de dentro dela, lambi tudo de novo até deixa-la limpinha e percebi o quanto era bom o gosto da porra fresca misturada com os líquidos dela. Passei a prestar mais atenção nas saídas dela procurava estar em casa quando ela chegava para que pudesse sentir aquele cheiro inebriante e aquele gosto delicioso em sua buceta. Embora não tocássemos no assunto, ela percebia que eu sabia de tudo, e respeitava meu silêncio. Eu também, por não saber como agir com a situação, não quis indaga-la sobre isso, embora quisesse muito incentiva-la a continuar com aquilo, mas não tinha coragem. Tinha medo que ela se revoltasse e pedisse a separação. Durante anos me contentei com as sobras de porra em sua buceta e me satisfazia apenas em chupa-la, chegando a gozar sem ao menos penetra-la. As vezes percebia que seu cuzinho estava dilatado e inchado e aquilo me dava mais tesão ainda. Colocava-a a de quatro e lambia tudo, sentindo o gosto do pau do outro do outro macho nos buracos alargados da minha esposa. Meu maior sonho era vê-la sendo possuída por outros homens, mas não tinha coragem de pedir. A esta altura, todos os meus amigos estavam sabendo do comportamento da minha esposa fora de casa, inclusive alguns já a tinham comido e tentavam me alertar. Eu me fazia de tonto e dizia que tinha toda confiança nela e encerrava o assunto. Até que um dia, peguei-a no pulo. Resolvi chamar meus amigos para um uísque na sexta a noite, para batermos papo até de madrugada. Sem as esposas. Sandrinha ficaria ali apenas para me dar uma mão com os aperitivos e as bebidas. Sugeri que ela colocasse um vestido de malha que marcava bem seu corpo e uma calcinha minúscula, enterradinha na buceta, para que eu pudesse dar umas lambidas de vez em quando. O efeito foi maravilhoso. Como o vestido era claro e muito justo, dava para perceber pela frente os lábios da vagina escapando da calcinha, e por trás, suas nádegas separadas por causa do fio dental enterrado no rego. Seus peitos estavam quase todos a mostra, pois o vestido era muito decotado e os bicos apareciam sob a malha. Ela estava uma puta perfeita. Fingi beber muito, mas estava sóbrio. Meus amigos olhavam pra ela com cara de sacanas. Ao todo eram 6 homens, fora eu, 3 foram embora pois tinham que dar satisfação às esposas e ficaram o Julio, o Alberto e o Rodolfo. A certa altura, alegando que estava completamente travado, fui para o quarto e fingi estar dormindo. Depois de algum tempo desci as escadas silenciosamente e deparei com a cena mais excitante que já tinha visto até aquele dia: minha esposa sentada na pica do Julio, o Rodolfo comendo seu rabo e ela fazendo um boquete no Alberto. O Alberto e o Julio se revezam em seu cuzinho e ela parecia estar adorando. Gemia baixinho enquanto eles a chamavam de puta gostosa, cadelinha vadia e outro nomes que não me lembro mais. Um a um todos gozaram na sua xana e seu cu, enchendo-a de porra. Foi então que eu entrei na sala, já sem as calças, e fui lamber a porra que escorria dos buracos da minha esposa. Os quatro ficaram espantados com aquilo, mas vendo como eu me deliciava naquela buceta encharcada, foram relaxando e em pouco tempo já estavam com o pau duro novamente. Sandrinha chupava um pouco cada um enquanto eu terminava o agradável trabalho de limpeza, então Júlio veio e colocou o pau na xoxota dela. Eu continuei lambendo e as vezes escorregava minha língua até a base do cacete de Julio e dava umas boas linguadas. Ele, percebendo minha intenção, começou a tirar tudo e colocar na minha boca e na buceta de Sandrinha alternadamente, sendo que demorava cada vez mais em minha boca. Fez um sinal para o Alberto que veio substituí-lo e me puxou para fora da sala. Subimos até o quarto, ele acomodou-se na cama e me chamou para fazer-lhe um boquete completo. Eu avisei que era a primeira que fazia aquilo, mas ele não se importou e eu comecei a mamar naquele caralho delicioso e duro do meu amigo. - Quero colocar no teu cu. Fiquei apavorado e deliciado com a idéia. Meu cu já piscava de tesão e não consegui negar à ele esse prazer. Peguei o tubo de KY e pedi que ele passasse. Em vez disso ele começou a lamber meu rabo me deixando louco de vontade de ser penetrado. Depois de lamber e dedar meu cu por uns 5 minutos, lambuzou tudo com KY e começou a forçar a entrada do meu cu com seu cacete. Entrou primeiro a cabeça me fazendo chorar de dor. Mas ele não parou. Disse que a dor ia passar conforme fosse entrando e que ele ia devagar. Eu sentia todas as minhas pregas se desfazerem, e meu cu queimava como se tivesse uma tocha de fogo entrando dentro de mim. Mas agüentei. Ele entrava e parava, entrava e parava, até que senti suas bolas e seus pelos roçando na minha bunda. Aí começou o prazer. Ele começou a fazer movimentos de vai e vem cada vez mais fortes. Eu urrava de prazer e cheguei a gozar lambuzando a cama. Ele também não agüentou muito tempo e acabou gozando também enchendo meu cu de porra. Nos lavamos e descemos para que ninguém desconfiasse, embora ache que não enganamos ninguém. Encontramos Rodolfo e Alberto fazendo uma DP na Sandrinha e logo em seguida os dois gozaram também. Finalmente resolveram ir embora, e Julio deu um jeito de me falar que me ligaria por volta das duas da tarde para que fôssemos a algum lugar pra fazer aquilo mais tranquilamente. Fiz que sim com a cabeça e me despedi de todos. Agora era a hora de cuidar da minha esposa adorada. Levei-a para o banho, esfreguei-a toda com todo o carinho e dormimos abraçados e satisfeitos. Acordamos por volta do meio dia, ela queixando-se estar toda dolorida, mas que tinha um compromisso daí uma hora. Tomamos um café reforçado e ela saiu apressada pro seu compromisso (que devia ser algum encontro com um dos seus machos). Tomei um banho caprichado, raspei meu cu (os pelos tinham incomodado um pouco na noite anterior), e fiquei esperando o telefonema do Julio, torcendo para que ele não demorasse muito. Ele ligou ainda não era 13:30 e marcamos nos encontrar no estacionamento de um supermercado perto de casa. De lá fomos para um motel. Eu estava super ansioso e excitado com a idéia de ficar sozinho com ele e finalmente poder fazer tudo o que quisesse sem medo de ser flagrado por alguém. Mal entramos no quarto e começamos a tirar as roupas e eu caí de boca no seu cacete lindo. Estava louco pra tomar leite direto da fonte e mamei até esguichar aquele creme delicioso, nectar dos deuses. Engoli saboreando cada gota enquanto olhava para a cara de satisfação do Julio. Ele disse que até hoje mulher nenhuma engolira sua porra com tanto gosto, e por isso ia me fuder quantas vezes agüentasse naquela tarde de sábado. Trepamos de todas as maneiras, de quatro, frango assado, de lado, em pé, enfim, quando saímos do motel eu estava totalmente aberto e assado. Mas estava feliz pois tinha descoberto do que eu realmente gostava. Cheguei em casa eram quase 10 da noite e levei a maior bronca da minha mulher, que disse ter chegado em casa por volta das 5 da tarde. Não dei muita bola e disse que ia dormir. Ela pediu que chupasse um pouco, pois queria enfiar um daqueles consolos de borracha. Atendi ao seu pedido pensando que se estivesse em condições, enfiava um em mim também. Acabei adormecendo logo e a deixando brincando sozinha com o caralhão de borracha. Acordamos as 10 da manhã com o telefone tocando. Era o Julio perguntando como eu estava, se não queria encontra-lo de novo. Disse-lhe que estava muito dolorido, mas que podíamos tentar depois do almoço. Almoçamos na casa da minha sogra e quando disse que ia sair novamente a Sandrinha quase teve um ataque. Brigamos e eu saí fingindo estar furioso. Na verdade, queria mesmo era arrumar uma desculpa para sair de casa e passar a tarde mamando e dando o cu pro Julio. Ficamos quase um mês nos encontrando diariamente, agora está mais espaçado, mas pelo menos 3 vezes por semana nos encontramos, e para isso acabei comprando um apartamento. Já faz 5 anos que levo essa vida dupla. Meu interesse sexual pela Sandrinha diminuiu ainda mais depois que descobri minha condição, mas não deixo de fazer sexo oral nela quando ela volta pra casa meladinha de porra. Usamos os consolos, tanto eu como ela, enquanto nos chupamos mutuamente. E garanto que tem sido muito satisfatório. Continuo amando minha esposa e cuidando para que ela não fique feia, para que possa atrair os machos que quiser. Liberei seus encontros em nossa casa para que eu possa ficar mais tranquilo quando estou com o Julio, afinal, os homens com quem ela trepa são todos nossos amigos e sempre sobra um pouco de cacete diferente pra eu mamar quando estou em casa. Júlio acabou se separando da esposa, mas decidimos não assumirmos publicamente nosso caso, afinal ainda estamos no exercício de nossas atividades (ele também é dentista) e poderia ser prejudicial, e eu tampouco quero me separar da putinha da minha esposa. Ser corno é uma coisa que me agrada muito, me excita. Ela ainda não sabe, ou pelo menos faz que não sabe do meu caso com o Júlio, mas isso não vai ser por muito tempo, pois ele não tem saído da minha casa, e mais dia, menos dia, ainda nos pega engatados. E aí eu vejo o que vou fazer. E com certeza não será o Júlio quem eu vou deixar.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
03/10/2011 14:22:48
ótimo conto.
18/08/2011 09:49:46
Adoraria conhece-los e termos otimos momentos, junto com o casal, poderemos ter amizade e muito prazer, se haver interesse
09/09/2010 05:04:37
Sensacional!!!!! Gozei demais. Tens tudo o que eu gostaria de ter: uma esposa maravilhosa e putinha e um cuzinho todo arrombado. Leia minhas aventuras, meu e-mail está no final delas, e me adicione.
27/05/2009 08:11:28
Que beleza adoraria poder conhece-los.
21/05/2009 22:08:08
GOSTEI MUITO, NOTA DEZ.ACHO Q TEMOS MUITO EM COMUM .EU E MINHA ESPOSA TEMOS UM AMANTE QUE É MARAVILHOSO.VISITEM NOSSO LOG.sexlog .com.br/kasalkostaverde,
24/01/2009 03:38:53
Bom. Bem escrito. Gostoso. O casamento perfeito. Quando ela pegar você com o Júlio, Ricardo, não vai haver separação nenhuma. Vocês têm uma relação adulta entre pessoas que se completam. Um enorme e meladaço beijãozão. Mar:. Santos e São Paulo - SP - Brasil. ___
Lx-
31/08/2008 18:53:28
Excelente relato! Bem escrito e com bastante detalhes. Parabéns!
13/01/2008 22:24:23
tô aqui,
13/01/2008 22:24:21
tô aqui,
13/01/2008 10:40:02
Me contate egil,meu email e msn: Terá uma rola linda pra ela e pra vc se quiser tbém.
09/01/2008 23:04:01
nino to louco para ver um macho de verdade fuder gostoso a minha mulherzinha,gazar na cara dela depois limpar suas porras com a limgua usar a calcinha dela e chupar sua pica para ser fudida.ela e branquinha cuzinho virgem.xaninha a pertadinha.
20/11/2007 20:09:31
Olá egil,posso ajudá-lo?Me contate no
16/11/2007 22:57:38
tenho vontade de ver minha esposinha fudendo com us tres machos bem picudos e eu so jupando suas porras
02/03/2005 04:25:45
MEU DEUS QUE ISSO
emerson
23/10/2004 14:20:34
adoraria flar com voce, gostei da sua aventura se for verdade voce esta d eparabens

Online porn video at mobile phone


Negao de pau gigante gozando dentro da buceta da ovelhasesposa cheia de porra no acampamento casa dos contospornodoido cavalona de cinturinha fininhacontos eiroticos leilaporne ele bate o que Assumimos a bunda da irmãquero ve comto erotico de Homem Que come a bucetinha pequena da bebe bem novinha do beusomulhet com pomba gira gozando na picavideo de coroas peladas tomano banho de margarina na banheira de casavai novinhas so grelao shortinho enterrado na bucetafilme de sexo com mulher f****** e chupando pica arrotando galameu tio virou dono da minha esposacontos eroticos papai me comeu e eu gosteicontos eroticos de santo andrexvideo entiada gozando e perdendo a vidadevídeo pornô Sport segurando marido comendo o cuzinho da comadre a forçacontos eiroticos leilaporncontos de mae vadia viciada na rola do filhocontos eiroticos leilaporncontos eiroticos leilapornvirgens+perdendo+o+cabacao+da+buceta+e+do+cu++virgensreymer ,eroticoestupro esposa contos eroticosquero ver vídeo 2017 mulher pelada transando comigo numa na cama de box altonacumi aminha tia muinto cavalaeu nunca tinha chupafo e lambifo cu de homem. minha buceta escorriacomendo debrinha com abuceta defora e gozei dentroginecologista me masturbou gostoso contosContos eroticos de velhogueyzinho gracinha arrebentei cuzinho delemachos suvacos e salivasmulher cagando enquanto dava a bucetacontos corno manso ineditoprica cavalacontos eiroticos leilapornomem mesturbano deitado de brusoconto erotico viadinho vestiu calcinha na casa abandonadafato real de noiada chupando rolaconto incesto gay pai e filhoteens paus cabeçudos grandes gozando fortes jatos porracontos eiroticos leilapornconto erótico O Despertar de uma casadaxividio cuida e primocontos eróticos encesto mae de 35 anos fodendo com seu jovem filho e gozando muitomulheres distraidas xvidiis.comcontos gay com barbeirosxvidiocasadas pedindo gala na bucetaesculachou o cu da filha adolecente ate gosa dentrofurei ontem com meu marido quero ffuder hoje de novo o que facoestupro esposa contos eroticoszofilia mulher dependurada pel cu no cãoSatanás me chamando a filhinha para transar com a xoxota toda g*****Zoofilia franco e belinhatalam e pene trAsandonegao de 17 cetrimetro em purando na novinhacontos eiroticos leilaporngostosa chifrando corno com seguranças na festa contos eroticosgostosa decha erick gozar em sua buceta pornodoidopadrasto safado amostrando a p***** arrepiada com novinhanovinhas de chortinhos cortinhos provocando o irmaodose meu cu parra xxvideosxvidio com familia sapêcaxvideos de porno de magriaela ficou amarrada por dois dias com uma bola no cucontoerotico.com/ irma8conto erotico gay meu dono dei meu cu de presente de aniversariodesde novia goto d pauzao n m xoxotaquero ver todos os filme que As Mulheres Ricas pegando a xoxota na cara dos homens com a imagem bem grande e g****** na boca descendo embaixo na boca deleMeu pai é meu padrasto ele é tarado parte9conto narceja porradois gatoto tarado xvidioTia Selma o sobrinho já com rabo de fora vídeosXvideos so de novingas de 15 aninhos sendo estrupada pelo irmaoFotos homensatrevidos peladosninfetaa porbodoidopor que quando minha tia mim ver ela passa a mão e coça a buceta delaeu e minha cunhada solteira coroa no motel ela disse pra mim que sua buceta era virgem eu so acreditei que sua buceta era virgem mesmo quando eu fui metendo meu pau na sua buceta que sangro conto eróticoimagens do negão enfiando o pinto na b***** da mulher que ela geme até a almamarido descibrir pito de burracha na gaveta da esposa pornocontaminando a dona de casa nova premera parte contoscoroas brasileiras gritando cm o puu na xana e pedindo mais xvidionovinha com sabonete batendo uma no chuveiropra um homemestoria.de sexo bem apimetado travesti bemdotado fudendo etero casadocontos eiroticos leilapornajudante de predeiro trasa com uma mulher casadacontoprimeirafodapornoirado.com / casada gritou na rola monstrocontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgecontos eroticos cheirando a calcinha da minha maedotado roludo malvado comm novinha com bucetinha muito apertadao garotinho do semáforo contos eróticos reais