GRÁVIDA E DANDO PARA UM BEM-DOTADO.

Um conto erótico de Viuvinha
Categoria: Heterossexual
Data: 18/11/2011 03:51:25
Última revisão: 14/12/2019 10:15:01
Nota 9.80

Quem leu meus contos, sabe que com quase 30 anos, precisei trabalhar como garota de programa e engravidei do meu sogro. Quem não leu, é só clicar encima do meu pseudônimo ¨viuvinha¨ que acha.

Tive sorte até então. Várias vezes a camisinha se rompeu no meio da transa. E também aconteceu do penis do cliente, amolecer rápido depois do gozo e na hora de tirar, a camisinha ter ficado lá dentro, cheia de porra.

Quem transa bastante, está sujeito a esses acidentes de trabalho. Quase sempre sem problemas, só uma vez, deu mais trabalho. Foi no começo, quando eu era inexperiente.

O preservativo ficou lá dentro e não notei. No afã de faturar, transei com outro que empurrou a camisinha mais fundo e só com o desconforto, percebí o que tinha acontecido.

Tentei tirar com os dedos, sem sucesso. Já tinha até marcado consulta com a ginecologista quando, no dia seguinte, ao urinar, minha xoxotinha expeliu o corpo estranho. Felizmente!

Faço regularmente testes de DST, HIV e hepatites B e C. Com a gravidez, minhas idas à médica se tornaram mais constantes e tenho mantido a xaninha depilada.

Nos meses iniciais, no meu caso, as alterações hormonais são acentuadas. O seios ficam sensíveis e doloridos. Tenho muito sono, nauseas e pouco apetite pelo sexo. Foi um verdadeiro suplício transar nessas condições, mas, pensando em melhorar as finanças, tive de trabalhar bastante.

O difícil era fazer boquete, disfarçando a ansia de vômito. Mas ao acrescentar a palavra ¨grávida¨ nos anúncios de jornal, a clientela aumentou. Foi uma surpresa constatar, como existem homens com o fetiche de comer uma gestante.

Quando a barriga ficou evidente, tudo mudou. E para melhor. O desejo sexual voltou e de forma mais intensa. Vivia tarada como uma ninfomaníaca. E sem os incomodos da mestruação. Tive orgasmos com quase todos os clientes.

Meu medo era os bem-dotados. Mas eles são raros, um em cada cem, se muito. Nesses casos, uso a mesma técnica de quando faço anal. Fico por cima e controlo a penetração.

Apesar da médica ter explicado que o perigo de aborto ou parto prematuro ser ínfimo, tenho a impressão que o colo do útero está dilatado e a ponta da pica pode atingir o feto.

Por falar em caras com pau gigantes, um que vive me azucrinando é o Paulão. Ele é casado há anos e não tem filhos. A esposa dele não consegue engravidar, por problemas de aderências. Certa vez, me propos ter um filho dele. Ele assumiria tudo financeiramente. Recusei, é claro.

Quando soube que eu estava grávida, Paulão ficou maluco:

- Porra, Sheila, você emprenhada? Quem é o pai? Puta que pariu! Não podia ser comigo? Já disse que grana não é problema, pô!

- Pois é, Paulão, aconteceu. Eu não queria. Aconteceu, fazer o que? Se soubesse, teria feito contigo. Mas assumirias a criança? E tua esposa?

- Isso é o de menos! Você sabe que tô louco prá ter um filho, pô! Meus amigos tiram sarro por eu não ter filhos. Os caras gozam da minha masculinidade. Plantei uma árvore, escrevi um livro e não tenho filhos!

Bem, depois disso, Paulão que antes me ligava uma vez por mês, passou a fazer toda semana. E a medida que a barriga crescia, duas e até três vezes por semana.

Do sétimo mês em diante, começei a diminuir o ritmo, recusando muitos ¨serviços¨. Só atendia os conhecidos, bons clientes, carinhosos, pouco dotados, alguns me tratando como se eu fosse feita de cristal frágil. E evitava muitos, entre eles o Paulão, que vivia ligando, oferecendo grana alta, implorando por uma transa.

No oitavo mês, o medo de ter algum problema, me fez parar por completo. O risco de um descolamento da placenta era bem maior. Os seios tinham dobrado de tamanho, sensíveis, doloridos e cheios de leite. Os biquinhos que eram rosados, também estavam maiores e escurecidos.

A barriga pesava, alterando o equilibrio, obrigando-me a mover de forma lenta e cuidadosa. Até coisas simples como deitar e levantar da cama eram dificultados. Mas o desejo sexual persistia. A vontade de transar era intensa e cada vez mais acentuada pela abstinência. Vivia com a xoxotinha úmida, piscando por uma rola.

E Paulão insistindo. Ele tinha sido meu cliente mais constante. Coitado, tanto pediu que, hesitante, acabei saindo com ele, com a condição de que deixaria por só um pouquinho. E fomos para um motel.

No quarto, tirando a bata de grávida, olhei no espelho no teto a minha silhueta toda deformada. A barrigona ocultava os pentelhos. Há muito que não me depilava por essa razão. E estava apreensiva, pois quando tive os outros filhos, não transei nos últimos dois meses.

Paulão já nú, sentado na cama, me admirando como se estive diante de uma deusa, com aquele pauzão rígido, apontado para o teto. Se aproximou e me beijou voluptosamente. E apesar da barriga volumosa entre nós, seu mastro estava lá, firme forçando entre minhas coxas, se esfregando na vulva molhadinha.

Ele foi se abaixando, beijando as auréolas dos seios e agachado, passeava os lábios pelo ventre, adorando o volume. Lembrei que Fabrício, meu marido também fazia isso. Só que ele era o pai e ficávamos só no sexo oral. Desta vez era diferente. Além de tudo, a vara do Paulão era o dobro na grossura e comprimento.

Quando Paulão começou a chupar minha xaninha, esquecí de tudo. É o meu ponto fraco, ainda mais depois de semanas sem sexo, bastou a lingua quente e molhada tocar meu clítoris, já atingí um orgasmo arrebatador, que me deixou de pernas bambas e quase caí.

Fomos para a cama, fiz ele deitar de costas e coloquei a pirocona do Paulão na boca, mamando sofregamente. Eu estava realmente tarada, no cio. Fiz uma gulosa daquelas, com sentimentos contraditórios.

Por um lado estava com receio e queria satisfazê-lo bebendo seu leitinho. E por outro, ansiava com ter aquele naco gigante de carne dura dentro da bocetinha.

Paulão pareceu adivinhar minhas dúvidas e disse enquanto gemia:

- Uhhh, Sheila, deliiiiciiia! Deixa eu meter um pouquinho, deixa! Ahhhh, vamos meter, vamos!

Nessa hora, de tão adoidada pelo tesão, esquecí até da camisinha. Fui de cócoras e procurei a vara, tateando com a xoxotinha. Paulão ajudou, segurando e direcionando a pica.

Temerosa, fui descendo, devagar. E quando a chapeleta rombuda invadiu a grutinha, deixei escapar um gemido forte. E ela foi abrindo caminho na minha bocetinha encharcada de mel. Parecia que há anos eu não tinha uma vara dentro de mim.

O tesão me fazia descer e a prudência brecava e fazia recuar. Nesse vai-e-vem, quando dei por mim, já tinha entrado bastante. E Paulão mais do que excitado, estocava de baixo para cima, provocando sustos, ardência, prazer e fugas.

Ficamos metendo assim. A posição era cansativa, pois, o temor me fazia segurar as descidas do corpo pesado, todo ele apoiado nas pernas. Assim agachada, sentí algumas constrações musculares, avisando que viriam caimbras.

Saí de cima e deitei de lado, sugerindo que ele metesse por trás, na posição conchinha:

- Paulão, metas com cuidado! Ó, faz favor hein, não coloques tudo, tá?

E ele me penetrou de novo, devagar como pedí. A posição agora era bem confortável e até passei a rebolar participando mais. E Paulão foi metendo cada vez mais rápido e vigorosamente.

O pauzão me arrombando, mais fundo na bocetinha. Ardia mas estava gostoso demais. E fui deixando, consentindo, o desejo sobrepondo à prudência.

E tive outro orgasmo e outro. E Paulão com aquela pirocona bombando para valer. Nisso a ponta rombuda bateu lá no fundo. Nem tanto pela dor, mais pelo susto, gritei:

- Para, Paulão, para!

- Não amor, só mais um pouquinho. Aguenta aí. Tô quase gozando!

Assustada, só então, dei conta que ele estava sem camisinha e imaginei aquele cabeçorra me enchendo de porra e até chegando no meu bebe. No desespero, pensei até em oferecer o cuzinho para ele gozar nele. Não, o melhor era fazer um boquete, masturbando-o para arrancar o leitinho com os lábios. Tudo que eu queria era desengatar e fugir.

Mas Paulão me prendeu minha perna com a sua e com as mãos, imobilizou fortemente meu quadril, enquando acelerou as metidas. Acho que o pauzão já estava tudo dentro de mim, dando uma surra de pica na xoxotinha e no meu mais profundo âmago.

A sensação que o momento do parto estava chegando, me fez ficar desesperada. Eu tentando fugir e ele alí, engatado e bombando fundo, enquanto dizia ofegando:

- Vou por um filho nessa barriga, gostosa! Vou te emprenhar também! Ahhh, vou gozar! Toma meu neném! Ahhh, to gozandoooo!

E soltou jatos de semen. Deu para sentir dentro da xaninha cada ejaculada, quente, viscosa, quando tocou lá no fundo. Mal Paulão relaxou, me soltei desesperada.

Na hora fiquei tão irada que o xinguei de tudo que é nome. Me levantei o mais rápido que a barrigona permitiu e corrí para o banheiro com a porra escorrendo farta pela virilha e coxas.

Ainda bem que essa transa não trouxe maiores consequências. Depois dessa, estou me segurando. Homem agora, só depois do parto e resguardo.

*********************************

FOTOS - Para quem ainda não viu minhas fotos, é só deixar e-mail nos comentários que a divulgação envia.


Este conto recebeu 12 estrelas.
Incentive viuvinha a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
21/02/2020 00:27:59
Então, cá estou... Bem excitante, deu pra ter uma noção do quão bom é, tbm, para a grávida transar. O medo que tive, pegando a minha com cuidados, parece ser maior pra elas, mas ao que entendi, o prazer dela tbm é maior... Hahaha vou ler outros contos seus, aqui, tbmestrelas e nota 10
20/02/2020 08:49:00
Delicia de conto.
Uls
10/02/2020 22:34:35
03/02/2020 11:13:31
Você poderia ser chamada de a reporter do sexo, do prazer. Tal a capacidade de falar de um modo muito natural, e muito bem escrito sobre o sexo. Ainda mais de una grávida. Pena que não escreve mais. Merecidas estrelas e uma nota 10 porque não tem maior. Grato pelo seu comentário no meu texto. Beijos, se me permite saborosos beijos.
29/01/2020 17:46:59
26/01/2020 11:53:51
Adorei o Su Conto e fiquei com muito Tesão em vc minha Safada, aceito suas fotos e lhe enviarei as Minhas
25/01/2020 08:34:49
Tenho tesao por gravidas
22/01/2020 17:43:39
Quero vc amo manda fotos
13/01/2020 16:38:32
06/01/2020 11:15:19
Delícia de conto. Sempre tive verdadeira loucura por grávidas e algumas experiências muito interessantes.
01/01/2020 11:48:35
DENTRE MAIS DE CENTO E CINQUENTA MIL CONTOS, ESTE É O QUADRAGÉSIMO-SÉTIMO (47) MAIS COMENTADO DO SITE,COM 260 VOTOS. Muito bem escrito, merece a nota máxima.
29/12/2019 12:06:35
Adorei queria ver as fotos
04/12/2019 09:46:01
Loira.casada seria delicioso colocar o meu DIFERENTAO quer conhecer?
26/11/2019 22:19:38
24/11/2019 07:12:46
Homens tem mesmo esse fetiche de transar com grávidas. Quanto maior o barrigão, mais dão secadas na gente...
18/11/2019 22:23:40
Muito bom! Excitante!!!
18/11/2019 12:12:25
Que delícia! Essa é uma das fantasias hétero que ainda me excita. Transei com a mãe da minha filha até o quinto mês e ela perdeu a libido. Na verdade, fui pai muito cedo e não tive minhas experiências com ela. Já tentei encontrar uma grávida, mas até hoje nunca rolou. Quem sabe um dia?
08/11/2019 20:25:02
Muito gostosa essa viuvinha
08/11/2019 13:38:42
Viuvinha vc e dez
03/11/2019 02:37:55
Saudades de fuder uma gravidinha... delícia de conto! Boa sorte pro Paulão rsrsrs Aguardo ansiosamente essas fotos de gravidinha gostosa

Online porn video at mobile phone


genicologista abrindo abuceta ate o limitiContos na pescaria com tios e amigos me fazen d bixinha delescontoerotico eu namorada mae e tioXVídeos pastora mulher numa aposta de sinucaputa tarada na pomba e o macho relinxa d tesaoestoria.de sexo bem apimetado travesti bemdotado fudendo etero casadominhas condiçoes imposta para o corno contos eroticoEMYRYZ-Casa Dos Contos Eróticos| zdorovsreda.commulher centa na bengalacaralhinho do prazer contosse eu marido descobre me mata contos eróticos gang bangbucetas gostozas gozando gostozo na cabesona rombudaengolindo porta no ônibus na viagemwww xvideos menina pega omém gradenovinha parece um anjodando o cu fotosmulheres se masturbando por pistões mecânicosver vidio pitudo dando uns amasso na novinha que nunca vio rolapirralha e pirralhinha XVídeosrapasjovem pao grande groso gozandonovinha distraída de shortinho folgadinhos sentou de perna abertaConto erótico por vingança me deixaram peladafilme de sexo com novinha conto as novinha e os novinho com tardezinhairmã gêmeas da o priquitinho para o padrasto na piscinaVelhopintudocontoshistorias de mulheres que foram emcoxadas e deram o cu no metrocontos eroricos mendingo gay e garicorneagem xvideos.comcontos eróticos de i****** avô e avó f****** a b***** da netinha juntosporno mimnha filha e tao novimnha que nem petelho naceu aimdaconto erotico meu vizinho tirou minha virgindade gaypornor doido homem batendo poleta no banheiropornomulheres que urináotitia safada gozando esquirt contosnovinha moreninhafazendo sexo nachácara com tioVoltei arrombada e cheia de porra mostrei para o cornonovinha contenção de chorte atoladocarolzinhabaixinhatrepanomenor semdo fodida dormimdo x videocasada aguentando 24cm de rola do amante que nao aguenta e goza rapidocontos herotico .primo do namoradoconto erotico novinha curiosanovinho de curitiba gosando na cara no xisvidiofudida por um tio pirocudo contox vudeos amador ficou asustado cuando sentiu aporra quente dentro da bucetaContos eróticos procurando aventura no clube de campolouca por rola padrasto socorrewww.contos eróticos eu curiava minha mae.comcontos metendo com estrutora de auto escola casadaesgichada de gala da bucetavideo na praia de jericoacoara ceara sexo porno na praiaconto comendo cu na marra da santistavirgemcasadoscontoscasada se mostrano em casa pra corno e amigos juntos desfilando de fionegro roludo cabecudo comendo menino loiro goaando dentro video amadorMulher novinha do clitóris gigante fundida pelo padrasto hora do café e brasileira vidio porno bate popa vol casadabritney bitch em anal 15 minutoesposa abriu a bundinha para aquele homem barrigudo e pirocudo/relato eroticocomendo cu da sogra da minha sobrinha contoscontos eroticos, isso chupa meu peito esfrega meu grelinho faz sua putinha gozarContos eroticos patricinhas transando com namorados das primas e engravidav meninas 14aos 17 anus perdeno avirgindadeconto erótico menina bebê pai e filha puta ninfeta gosta de mamar peituda casete tbmcunhadinha novinha pega cunhado pelado no quarto e fica louca querendo f****garota nao guenta da r u cu i chora pornonovınha metendo agaxada na rolaquero ver a racha da xana por cima do choque por cima de shortinhohomens chupando gksporno clAsSico primeira vez de um molequecontos er papai putoCrentes dei meu cu virgem contos eróticossexo novinha inocente fez contrato mais nao sabia que ia transar com um pirocudo e fica assustadavídeo de sexo amador caseiro você quer me comer você quer meter é devagar meu com calma é assim não aqui mede a gente ser pinto grandeviadopornodoidocontos eróticos de mulheres que foram f***** por bem dotados na grossura de caramba sua b***** arrombada