Vitor & Daniel:Apaixonado pelo meu cunhado 5

Um conto erótico de Solitário
Categoria: Homossexual
Data: 22/03/2016 15:26:30
Nota 10.00

Aviso:Esse capítulo tem dois narradores.

Capítulo 5-Maldito coração

Narrador:Daniel

Alguém bateu na porta insistentemente,interrompendo o que eu queria fazer.Não liguei e continuei sentado,pois nada mais importava.Eu só precisava tomar coragem e logo tudo acabaria.

As pancadas na porta ficaram mais insistentes e ouvi vozes,uma delas chamava meu nome.Mas não me levantei,continuei ali .Lágrimas escorriam pelo meu rosto e eu peguei o tubo cheio de remédios,nao podia mais esperar,aquela era a hora.

As pancadas na porta pararam e logo ouvi um baque mais forte.Sem me importar,derramei todos os comprimidos na minha mão e os levei a boca,mais alguém segurou o meu braço.Olhei para cima e vi o Vitor me encarando com uma cara de preocupado e ao seu lado,Alberto.

Como eles haviam entrado?

Olhei em direção a porta e ela estava no chão,deve ter sido derrubada na hora em que ouvi aquele baque mais forte.

-Que merda você acha que ia fazer?-Vitor me perguntou a preocupação agora virando raiva,enquanto sacudia a minha mão e espalhava os remédios pelo chão.

-Eu não suporto mais essa vida sem ele!-Eu respondi em lágrimas.

-E você acha que acabando com ela vai resolver?-Vitor perguntou enquanto pegava na gola da minha camisa e me levantava.

-Vitor já chega!-Alberto disse enquanto o encarava sério.

-Você é um covarde!-Vitor disse enquanto me soltava no chão.

Alberto fez sinal e Vitor foi com ele para um canto.Apos conversarem,Vitor saiu colocando a porta em pé e Alberto voltou e se sentou ao meu lado,tirando o paletó e se pondo vontade.

-Como você está? -Ele perguntou com um sorriso.

-Estou destruído.-Respondi sem ânimo.

-Quer me contar?-Ele perguntou

-Não!-Eu respondi enquanto abraçava os meus joelhos.

-Tudo bem!Não vou lhe pressionar. -Ele disse colocando a mão em meu ombro.

Fazia tantos dias que estava ali sozinho que esse simples ato me fez sentir bem.Não consegui me controlar e voltei a chorar.

-Desculpe,tô muito sensível.-Eu disse após me acalmar.

-Está melhor?-Ele perguntou com um sorriso.

-Ainda sinto um vazio enorme...mais tô sim!-Eu respondi tentando enxugar meu rosto.

-Você era muito feliz com ele?-Alberto perguntou enquanto me observava.

-Bastante!...Ele me completava,me fazia bem e até planejávamos ter filhos.-Eu respondi com tristeza.

-Você encontrou nele o que não tinha na sua família.-Ele disse após algum tempo em silêncio.

-Meu pai era bruto e as vezes ignorante.Depois que ele começou a ter sucesso na carreira,mal aparecia em casa...Minha mãe era conformada com a situação e aguentava tudo calada...E meu irmão era igual a ela.O Nick foi um presente que a vida me deu,com ele aprendi a amar e descobri o que é carinho de alguém.-Eu disse pensativo.

-E então você foi embora com ele.Nunca se arrependeu?-Alberto me perguntou parecendo interessado na minha história.

-O Nick tinha seus defeitos mais nada grave.As vezes ele chegava bêbado ou me respondia mal,mais sempre me pedia perdão.Ele era muito sensível e muito carente...Também não foi muito feliz com a família que tinha.-Eu respondi.

-Quando diz família,você se refere ao Vitor.-Ele disse enquanto me encarava.

-No dia do velório,eu e o Vitor conversamos bastante e foi muito bom. Mas ainda não esqueci das brigas que eles tinham e das vezes que o Nick ficava mal.-Eu disse pensativo.

-Entendo e sei o quanto é difícil perder quem a gente ama,mas temos que seguir em frente.Se o Nick te amava tanto,era isso que ele iria querer.-Alberto disse enquanto bagunçava meu cabelo.

-É,pode ser!-Eu disse dando um leve sorriso.

-Sabe essa casa tá um chiqueiro...Que tal a gente da uma faxina?-Ele perguntou com um sorriso enquanto se levantava.

-Eu...-tentei responder olhando ao meu redor.

-Levanta logo e deixa de desculpa.-Ele disse enquanto enrolava as mangas da camisa.

Alberto foi até a cozinha e eu acompanhei.O estado dela era lamentável,as panelas com a comida do jantar ainda estavam no fogão e a pia estava lotada.

-Há quantos dias essa comida está aqui?-Ele perguntou enquanto destampava as panelas.

-uns 16.-Eu respondi baixinho.

-Isso explica os trocinhos brancos que se movem.-Ele disse com a cara de quem estava enjoado.

-Eu fico com o fogão e a mesa...Você fica com a pia.-Eu disse enquanto me abaixava para pegar uns produtos.

-Eu sempre fico com a pior parte!-Ele disse enquanto pegava uma panela como se pega uma bomba.

###################################

Narrador:Vitor

Cheguei a rua e olhei para cima,desejando que o Alberto conseguisse melhorar o ânimo do Daniel.Nao queria nem pensar no que teria acontecido,se tivéssemos chegado um pouco mais tarde.

Desci a rua até onde estava meu carro,ao chegar lá,parei para olhar o outro lado e lá estava um homem de seus 50 anos olhando para o prédio de onde eu tinha saído.

"Eu disse a esse desgraçado para não vir até aqui.Eu disse que cuidaria de tudo.Que merda ele pensava que estava fazendo?"

Eu pensei enquanto atravessava a rua e parava em frente ao estranho.

-Eu não disse para você não vir até aqui?-Eu perguntei irritado.

-Eu preciso vê-lo Vitor...contar para ele o que Nicolas fez.-Ele respondeu nervoso.

-Ótimo,então vai lá e conta...Só que acho bom você ter alguma prova ou só vai conseguir que ele te odei mais.-Eu disse sem conseguir me segurar.

-Ele é meu filho,tem que acreditar em mim!-Ele teimou.

-O Daniel e cego pelo Nicolas...Ele não vai acreditar em nada,senão tivermos provas.-Eu tentei explicar.

O homem se virou de costas para mim e seu nervosismo era tão grande que ele torcia a mão uma na outra.

-Eu errei muito com ele,mas tenho direito a uma segunda chance.-Ele disse sem olhar para mim.

-Também acho,só que o Nicolas fez a cabeça dele direitinho contra você...Tomar uma atitude precipitada não vai resolver.-Eu disse impaciente.

-Aquele desgraçado maldito disse que ia levar o que eu tinha de mais importante...E eu sempre pensei que ele ia me roubar,levar meu dinheiro...Não achei que ia tirar meus filhos de mim.-Ele disse com a voz de quem está prestes a chorar.

-Ele não vai mais fazer mal a ninguém.-Eu disse sentindo uma coisa esquisita ao falar aquilo.

-Como esta aquela pobre garota?...Como é que mesmo o nome dela?-Ele perguntou após um tempo em silêncio,enquanto se virava para mim.

-Diana...Ela também não está nada bem.Chora bastante e tenta fugir,esta me dando dor de cabeça.-Eu respondi

-O que vai fazer com ela?-Ele perguntou me encarando.

-Minha meta é que ela não seja julgada pela morte daquele infeliz.-Eu respondi enquanto girava a chave do carro.

-Nunca pensei que ela seria capaz de fazer uma coisa dessas.-Ele disse pensativo.

-Temos outro assunto para conversar,mais vamos sair daqui.-Eu disse enquanto atravessava a rua.

Ele me acompanhou cabisbaixo e sem perda de tempo eu abri o carro e entrei,dando partida logo após ele ter entrado.Tinha que tirar-lo dali e levar para o mais longe possível.

######################################

Narrador:Daniel

Depois de um longo tempo terminamos a cozinha e passamos para o quarto.

-Olha,se não quiser fazer isso agora...-Ele disse enquanto colocava a mão no meu ombro.

-Eu tenho que seguir em frente.-Eu interrompi sem ânimo.

Peguei umas caixas e arrumei nelas as coisas do Nick uma a uma.Foi a coisa mais difícil que já fiz,parecia até que eu o estava perdendo de novo.Cheguei a ponto de desistir,mais havia percebido que eu precisava fazer isso.Eu tinha que deixa-lo ir por mais difícil que fosse.

Quando terminei,me sentei na cama e voltei a chorar.Me sentia mais vazio do que nunca é sentia vontade de arrancar fora aquele maldito coração que não parava de doer.

Alberto veio e se sentou ao meu lado,me puxando para um abraço.Coloquei a minha cabeça em seu peito e chorei mais do que nunca.

-Você está melhor?-Ele perguntou quando percebeu que eu estava me acalmando.

-Fora o vazio e essa dor que não passa...tô legal.-Eu respondi me levantando.

-Que tal a gente colocar esse guarda roupa em ordem?-Ele perguntou também se levantando.

Eu concordei e logo botamos a mão na massa.Depois de algumas horas passamos ao outro quarto e em seguida para a sala.

Quando terminamos já era noite e estávamos mortos.Caimos no sofá e a nossa intenção era não levantar nunca mais.Foi aí que a campainha tocou e eu me levantei para abrir a porta.(o Alberto havia chamado alguém para consertar.)Vitor entrou com várias sacolas e já foi colocando em cima da mesa.

-Você devia ter aparecido para a faxina.-Alberto disse o observando.

-Vejo que vocês se sairam muito bem sem mim.-Vitor disse tirando umas marmitas de dentro das sacolas.

-Parece que você trouxe algo bom,mais tenho que ir.-Alberto disse enquanto se levantava.

-Já?-Eu perguntei.

-Amanhã eu trabalho!-Ele respondeu enquanto estendia a mão para mim e apertava.

-Você gosta de lasanha?-Vitor perguntou após Alberto ter saído.

-Adoro!-Eu respondi sentindo aquele cheiro delicioso invadir a casa.

-Então traz uns pratos,uns copos...e também faca e garfo.-Ele disse com um sorriso.

Trouxe tudo o que ele pediu e arrumamos a mesa.Logo em seguida nos sentamos e ele serviu.Conversamos sobre a faxina que eu tinha dado com o Alberto e rimos bastante.

-Olha me desculpa...pelo que fiz de manhã.-Ele disse após termos terminado e levado os pratos para a cozinha.

-Você estava certo...Eu sou um covarde!-Eu disse um pouco triste.

-Que tal assistirmos a um filme?Trouxe uns de terror bem legais.-Ele disse mudando de assunto.

-Você vai ficar?-Eu perguntei surpreso.

-Não achou que eu te deixaria sozinho depois do que tentou fazer né? -Ele respondeu sério.

-Mais e a Mari?-Eu perguntei ignorando a pergunta dele.

-Nos já conversamos e ela entendeu a situação.-Ele respondeu enquanto mexia no aparelho de dvd.

Olhei para ele e naquele momento senti uma onda de gratidão por ele.Eu também não sabia se era seguro ficar sozinho,então fui para o sofá e me sentei a um canto.Ele terminou o que estava fazendo e se sentou no outro canto.Tirou a camisa que usava e jogou no outro sofá.

Logo o filme começou e era tão pesado que por um minuto consegui esquecer um pouco de todo aquele tormento que estava passando.

Continua...

¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤&&&&&¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

Bem gente consegui tirar um tempo dessa correria e lançar mas um capítulo rápidinho aí para vocês.Espero que gostem e obrigado a todos que leram!

Whees muito obrigado pelo elogio.Espero que goste desse capítulo.

Edu19>Edu15 e Kevina eu estou de volta o mais rápido que eu pude,trazendo um capítulo quentinho pra vocês.

Martines não vou dizer kkkkkk pois cada segredo a seu tempo . Você disse que não gosta muito do jeito que a trama anda.Me explica qual é o problema e posso tentar melhorar.Desculpe,mas eu disse que nos próximos capítulos quem matou o Nicolas iria ser revelado mais não especifiquei um capítulo. :-( Que bom que gosta do meu conto.Espero que continue acompanhando.

Haryan obrigado e este aqui fiz o maior que pude.

Ru/Ruanito que bom vê você de novo.

Até a próxima galera!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
07/04/2016 20:06:34
O Nicolas era um monstro sem sentimentos e manipulador
23/03/2016 01:05:49
Simplesmente adorando, continue logo.
22/03/2016 22:00:40
Como FlaAngel disse, sua história é muito envolvente! Não ando inspirada para comentar detalhes da trama, mas lhe garanto que já estou viciada nela! Obrigada por voltar rapidamente! Beijos mil!
22/03/2016 21:36:14
Começei a ler hoje e não parei kkkk.Teu conto é muito bom e é super detalhado.Eu acho que foi o Nicolas que estuprou a Cecilia.Todos os segredos estão a vir a tona
22/03/2016 18:24:30
Kkkk se for juntar tudo que tu já disse de ruim ai, eu estou começando a decifrar os podres do Nicolas, mesmo você dizendo que não pode falar, eu tenho certeza que o Nicolas estrupou a Cecília, mas pelo que o Daniel fala, ele parece sempre se arrepender, quando brigava com Vitor. E nesse capitulo ficou no ar " Não achei que ia tirar meus filhos de mim", quer dizer que o Nicolas também tirou o irmão do Daniel de dentro de casa e o colocou contra o pai, será que eram amantes? porque ele fez isso? E não vou muito com a cara desse Alberto, tem algo podre nesse reino e não é o so o Nicolas que fede. Sobre não gostar do rumo da trama, falo sobre o suspense e a enrolação por trás somente isso. O conto está divino...
22/03/2016 17:21:13
Comecei a ler hoje seu conto e esta muito envolvente...adorando a narrativa e torcendo para q logo logo Daniel comece a descobrir quem era nicolas. Parabéns e nâo demore a publicar...kkk

Online porn video at mobile phone


pai a morosa w filha adorada porno doidoconto erotico de corno paraensevideos caseiro de mulher transando com homem magro no colchãochantagiou a mãe para fuder nela Rubiaeneto Com imagens com movumento sexoContos eroticosprovoquei meu pai calcinhamamae sentou no meu colo e eu nao resistir e comi ela contos erpticosmulher muito gostosa pedi varios para gozar no cuzinho muoto apetardoxvideo com os corno conformados vendo sus esposas sendo arrombadasbebezinha de 18 anos nua e areganhadanovnha ganhando varada no niversario de 18 anos jorrando porramonlne da boseta grande gosando sozinha da boseta bem traquinhamulhe pelada putona do cuzao e budona so de vistido ruivachupando minha bucetinha lisinha contos eroticostrai com meus alunosconto novinha perdeu o cabaco para casetudo que em fiou de uma veztraição xxvidioxvideos. perigoso com entradas doendonegao que empurrou quarentta sentimetro na magrelavidio gay dando cu gostoso dormir estrupo hugoxvideos.menimas.14.taxado.a.fossavi minlha irma crenye no banlhero porrno safadocincesto irma dando pro proprio irmãzinho novinhoxvideoswww.xvideo vanda virtusirazinha pega no meu pau sarechcontos erotico,meu genro me enrrabou dormindobaixar xxxxvideosmulher traindocontos dormindo com meu padrasto picudoCasa de Contos fodas a uma cadela pitbull da vizinhacontoseroticos incesto brincando de casinha com a maninhamundobichanovinho na praiaver videos de marido tanpano os olhos da esposa e levando outro homem para fodelacontos eróticos de i****** avô e avó f****** a b***** da netinha juntosdodói comendo o c* da novinha magrinha e ela fala que dóimorena de 58kg dando a bucetaconto erotico o velho comeu meu rabaoContos eroticos de sexo com genrovídeo de mulher com o Playboy mostrando a bunda no conto o homem sendo o piru da xana delawwwxvideos pinto mole subindoeu quero ver sexo cetonas gostosona de lindas roupasfilho fodendo a buceta a pertadeporno atedente.da.claro.tocando.siririca.no.zpxvideo dificil pra vc lukaxvideocontosgaycomtos exitantesumbanda xvideoxvideosmeninascom tesaover travestis novinhas dotadas comendo cu de oltro travestiVamp19-Contos O Doce Nas Suas Veias Capitulo 02sogra da cu p genro p nao engravida delequero ver conto erótico sapeca safado gostoso amor dentro do carro dentro da capoeiraMulheres escandalosa fudendo mete que vou. Goja no xvideosmulher chupa priquito de amiga sa empreme vou gosafelidades testi fobeno u caraarretada e gostosa minha mae conto incestogarota ciclista bermufa socada na xanaprovoquei levei no cu contosO vizinho safado do 205pornodoido comi o cu da minha mulher e a vizinha tambem quizconto sexo chantagiei a bundudaContos de maridos cornos e otários casados com esposas putas e safadasvidio socro depila a buceta da nora no banheirobucetinhaentroutudomenina pequena pula muro para calça priquito da mulher casada XVídeosAmamentação tetuda contosXvideos gracissecarolzinhabaixinhatrepanomulher tomam do tiro nabuseta de revolverporno dando a buceta noma tranza agresivaMenina asusta com tamanho da pica saindo dabucetadamaenovinha linda engolindo pora do carteiro pausudoconto mostrei a buceta pro genrotio pega sobrinho debrusos pelado e enrabacontos rel de urologistamulenapica