Panhano Devinho depois da sinuca.

Hehe. Pô meus paça tamo junto ai pivete, mermo os qui ta criticano. E os paça ai qui xegou brocano tudo mi defendeno, valeu ai pivete, é nois. E o otro paça ai qui deu idea de eu sabe mexe eim selula pra iscrever essas onda aqui, pô meu paça, pra tu vê ai paça qui não sou tão burro assim cabeça. Hehe. Mais ta valeno tobeim. É nois.

Voutano ai ao açunto pivete.

Antes de i pra ba eu pidi uma grana pra Deivinho qui dexou logo minha cartera bunita por dento. Botei a cartera na virilha e o selula do lado.

Eu e meu brode pegamo a moto do paça qui tava la fudeno e ajente saiu. Eu sai discauço mermo, so de bermuda e seim camiza. O paça tava de bermuda, tenis e tobeim tirou a camizeta e botou no ombro. Dei uma arrancada na moto e saimo panhano fogo.

Como as rua de la é mei vazia, ja deci a rua panhano, dobrei a isquina e fui logo meteno. Ja demo de cara com os homi. Neim tinha como fuji. Eta porra e agora pivete. Pararo ajente na ora.

Ja foro logo mandano, dece, dece, dece mão na avore e abri as perna. Ainda beim qui não foi pra cumer meu cu. Hehe. Ai ficou dois na mira e um vei bater vizão na jente. Mexero primero no brode e depois ele vei pra mi. O pulicia meteu mão dibaxo da minha bermuda garrou meu ovo e deu uma garrada na istaca. So vi o sacana soutar com uma quente e uma feveno e falou assim: porra.

Meu pau ainda tava mei duro com o efeito do pramiu. A porra ja é barriu quando ta mole imajine ela dura ou mei dura. So sei qui o pulicia ficou açustado.

Ai mandou ajente sai e pidiu os documento dajente e da moto.

Eu falei: pô paça, ajente ta eim uma caza ino aqui direto.

O pulicia respondeu: não perguntei onde voceis ta, eu pidi documento.

Eta mizera. O sacana não tava pra cunveça. E eu tava seim nada ali na mão.

Sorte qui eu tava com o selula e perguntei: pô paça, eu poço liga pra minha muler trazer aqui.

Ele respondeu: pode. Mais não é pra anda por ai seim documento não.

Dei toque pra Deivinho, ele retornou e dei idea: pô sacana, os homi parou ajente aqui logo na decida da rua. Pega minha identidade ai na muxila e pede o documento da moto pro paça qui mi imprestou e veim logo.

Ajente ficou la isperano uns cinco minuto so. Eu tentano puxar assunto mais os homi tava barriu. E o brode todo calado com medo da porra.

Ai xega Deivinho e o sacana dono da moto eim otra moto trazeno minha identidade e o documento da moto. Tava tudo de boa. E um dos pulicia perguntou pra jente: tava ino pra onde.

Eu respondi: um bazim aqui perto paça, pra bater uma mão de sinuca e toma uma ceveja.

Bixo, pra que eu disse isso. O pulicia falou: voce ta todo errado. Sai seim documento pessoau, seim documento da moto, discauço e ainda vai beber pilotano.

Deivinho tomou a frente e xamou o pulicia de lado.

Bixo, impressionamte como não cortaro Deivinho. Provaveu mente so purque o sacana tava beim vistido, todo aprezentaveu. É brincadera isso bixo.

E o viado jagou não sei o que pro sacana qui ele vei e falou: so por oje hem. Ta liberado. Vai pra onde tava ino.

Não contamo otra. Pelamo na moto e falei: valeu meu paça. Eles neim ai pra mi. Dei uma arrancada na moto e ajente se mandou. Mais neim demorou muito e xegamo eim um ba. O som tava manero, um bucado de meza com treis, quato, cinco pessoa cada uma, todo mundo beim vistido. Pencei eim vouta pra caza pra bota uma ropa melho e bota camiza ja qui não tinha nigem seim camiza e com ropa ruim.

Cara cara cara, eu e o brode fomo entrano e o silencio foi jerau. Todos os olha disviou pra jente ou intão pra mi. Ja qui o otro brode tava de bermuda de marca, tenis e camiza boa no ombro, ja eu vistido so com bermuda de tessido de vinte conto, seim camiza e por sima ainda discauço.

Mais entrei assim mermo de boa purque não devo nada a nigeim, eu não tava pelado,neim sujo neim fedeno. Axo qui pençaro qui eu era assautante. Hehe. Ate os gaçon tava mi olhano. A meza de sinuca tava vazia. Fui no baucão e pidi fixa pra sinuca qui ficava logo no mei do ba, e pidi duas ceveja pra eu e meu brode. O sacana mi dispaxou mei tremeno.

Uma obcevassão meus paça, quiria purque esses ba de rico sempre teim viado. Guei ja gosta de luga granfino.. La tinha uma meza com treis perto da sinuca. Si tinha mais não sei. Mais aqueles treis ali não tinha como isconder qui gostava de uma comprida. Hehe.

Ai eu e o brode comessou beber, da rizada, cunveçar jogar. A galera qui tava no ba foi relaxano mais com noça prezença.

Ai Devinho mi liga dizeno qui quiria qui eu fosse buscar ele purque os amigo dele ia pra otro luga. Largei o brode la um poco e fui busca o sacana. Os pulicia ainda tava la. Passei buzinano, subi a rua com uma quente e uma feveno.

Xegano na caza a galera ja tinha todo mundo acabado de fuder e tava si preparano pra sai.

Eu xamei todo mundo pra i pra onde eu e o brode tava mais eles ja tinha marcado pra i pra otro lugar. Deivinho tobeim ja tinha marcado mais ele prifiriu mi sigir, ate mermo purque o sacana tava gamado na minha, todo felis com a surra de rola qui dei no sacana mais cedo.

Meu paça qui mora aqui na cidade tava todo felis tobeim. O otro viado tinha dado uma grana gorda da porra pro sacana.

Meu paça ia com eles mais eu disse: não pivete, tu vai ficar é com nois. O pivete e eu tá bateno uma mão de sinuca ali e fauta voce. Teim ate umas gata la tudo granfina. Ai meu paça ficou logo acezo.

Ai meu paça e Deivinho pulou logo na moto. Mais meu paça qui é mais auto foi pilotano, Deivinho no mei e eu no fundo. Vai qui eu fosse no mei, e Devinho no meu fundo inventace de cumer minha bunda e eu gostaçe. Hehe. To zuano meus brode.

Bixo, dobrano a isquina e os homi ja ia para ajente. Ai deu sinau pra jente continuar.

Ajente no ba e o sacana da moto liga pra Deivinho pidino a moto. La vai eu dinovo levar a porra da moto. Mais o brode mi levou de vouta pro ba.

Devinho tava tomano uma bibida la de minina e meu paça tomano ceveja e jogano sinuca. O cara qui tava no baucão ja tava tratano ajente com mais sinpatia. Beim mais tarde fiqei sabeno qui ele era dono do ba.

Ai né, so Deivinho qui não jogava purque não sabia. Bixo, eu aprontei com o viado. Ai xamei ele pra eu insinar. Vei, eu insinano Devinho joga sinuca so feis um bucado de jente da rizada.

Mandei ele pega no taco e o bixo vei, neim sabia pega no taco. Ai falei assim: garota, finji qui isso aqui é meu taco e sigura ele do mermo jeito. Ja tava fazeno de propozito ja. A galera ficava dano rizada. Ate o dono do ba dava rizada.

Ai Deivinho pegou o taco. E eu falei: voce agora da uma tacada neça bola branca e tenta acertar aquela bola la perto do buraco. Mais taca fraco. Não taca do jeito qui tu fais com meu taco não. Tinha uma meza com cinco brode atrais da jente e os cara dava rizda de si acabar.

Deivinho quaze eim pe mirano a bola. Ai eu falei: ta com vergonha de quê porra. Tu teim qui ficar invergado pô. Ai eu fis Deivinho si dobrar. Eu eim pé atrais dele sigurano a mão dele pra ele sigurar o taco direito, mirar serto e tacar direito. Deivinho com a bunda pra trais, eu dei uma raleda com meu pau na bunda dele, virei a cabeça pros cara qui tava atrais e dei uma piscada pros paça. Os cara dava rizada iguau uns bexta. Hehe.

Mermo assim Deivinho deu com a cabeça do taco na meza e a bola pulou. Ai o brode qui tinha ido com migo primero falou: cara, muler não sabe jogar isso, e principau mente muler rica. Isso é jogo de pobre pô. E ajente deu rizada.

Ai ficamo no ba trocano idea, bebeno, jogano. Á e Devinho aprendeu um poco jogar sinuca, de cinquenta tacada ele acetou duas bola, a quantidade de bola qui ele gosta. Hehe.

Daqui a poco uns amigo de Devinho liga pra ele. Ai Deivinho vei mi dizer: as bixa ta tudo com saudade dajente, de voce e não sei queim la disse qui ta loca pra ve Geu. Hehe. Bixo, ajente xegou na vida daquelas minina e daqueles viado xegano. Ai so sei qui avizaro qui tava deceno la pro ba qui ajente tava.

Daqui a poco xega um bucado. Uma renca de viado, umas minina e dois paça. Pidiro logo pra juntar umas meza do lado de fora, pidiro logo um bucado de bebida das boas. O dono do ba ficou logo de boa com nois, ficou todo felis.

Ai foi auguns quereno qui ajente insinaçe eles joga. Meu paça deu logo idea: ajente ta eim uma partida aqui qui não pode parar. E isso aqui é jogo pra muleres não. E a galera si pacava de da rizada.

Os viado não gostaro muito das musga tocano e pidiu pra botar um pancadão. Ai o dono do ba pidiu pros gaçon perguntar pras pessoa qui ja tava la si eles si importava. Mais a galera beim jente boa. O clima depois qui trocou e aumentou a musga ficou ate mais legau. A galera si soutou mais. Ate os treis viado qui ja tava la antes dajente xegar começaro a si soutar. Tinha uma meza com quato coroa madami, entre mais ou meno quarenta e cinquenta ano, elas ficou logo si mexeno sentadas mermo. Meu paça logo si botou pra essas coroa e ficaro logo xea de fogo. Trocaro zap. A gata qui tinha ficado com meu paça mais cedo não si importou, mais o viado feis cara fea.

Ai pecebi e dei idea: paça, o viado qui tu panhou não gostou não pivete.

Ele respondeu: ele qui si foda. E eu com isso. Vô mermo parar de pegar muler por cauza de raiva de viado.

Meu paça é todo brabo e todo azuado.

Eu prifiro ficar na minha com Deivinho mermo qui mi da tudo o qui eu quero mermo seim eu pidir. Ele ja mi deu idea qui mi aceita com minha muler purque ela vei antes dele. Não poço perder Devinho agora não meus paça. Si eu perder aquele ali minha grana vai imbora. Os otro viado ja dexei de lado e eles so quiria mi da cinquenta, seçenta conto pra eu cumer eles. Depois qui dexei eles, teve um qui juntou uma grana e mi deu noventa e cinco conto pra eu cumer ele. Eu cumi mais dexei o sacana de lado purque ele juntou a grana pra mi dar. Ele não teim condição financera boa, ja Deivinho é filhim de papai e so anda com cartera rexiada.

Sim pivete, ai um daquels paça qui tava rino quando ralei o pau na bunda de Devinho, mi xamou de lado e mi perguntou: veim ca pacero, aquele cara qui tu tava insinano jogar é viado mermo ou tu tava zuano.

Ai respondi: impresta tua rola pra ele e tira prova.

O sacana botou a mão no quexo e ficou bexta. E falou: rapaiz, é mermo vei?

Ai levei ele la fora na meza onde eles tava tudo sentado e falei: Deivinho, o paça aqui ta duvidano qui tu é viado.

Ai Devinho respondeu: pois é amigo, e esse cara de pau é meu namorado.

Bixo, o sacana saiu dano rizada ate uma zora e eu fiqei com minha cara de taxo xei de vergonha. As coroa qui tava na meza do lado deles ficaro tudo dano rizada. Viado teim é piada. Mais fiquei de boa logo.

E mais tarde os viado e as minina tudo beba logo si assanharo e começaro dansar. Sei qui a galera isquentaro o ba e muitos daqueles qui tava ali calado, bebeno, cunveçano baxo, começaro tobeim dansar e o ba paresse qui virou buate.

Uma das coroa xamou meu paça e falou auguma coiza no ovido dele. Ele olhou pra mi e pro brode jogano com ajente. Ele vei ca e deu idea pra jente: pô meus paça, as coroa ali ta afim de coiecer voceis dois. Ai ele falou com migo: e aquela a li de bluza de onça ta dodia por voce meu paça. Ti xamou de gostozo.

Meu paça é todo azuado, onde vai bota gata ou coroa ou viado granfino pra jente panhar.

Ai ajente incostou pra troca idea com as granfina. Levantaro pra da bejim najente. A qui tava de bluza de onça pirou ovino eu dano idea nela, mermo o sacana aqui neim sabeno fala direito, vistido de bermuda fulera, discauço e seim camiza. Hehe. Ela ficou toda assanhada. O otro brode tava todo na marca so qui ficaro viajano na minha.

Ai ela perguntou: purque esse apilido Cabeça.

Eu respondi: si levanta qui eu falo no teu ovido.

Ela si levantou e eu dei idea assim: é por isso qui meu apilido é Cabeça. Ai incostei a rola nela.

A muler ficou maluca e sentou falano: minino o qui é isso.

Eu respondi: isso aqui é obra da natureza tia.

Mintira qui meu apilido é Cabeça neim sei purque. Hehe.

Nisso Deivinho si xegou por trais de mi, garrou meu puço e falou pras coroa: vai cantar eim otro terrero meus amô purque esse aqui ja é cazado. E ele saiu mi puxano.

Porra paça, eu quiria qui o xão si abrice pra eu mi jogar.

Devinho mi arrastou la pra fora e mi enxeu de liberdade mi dizeno qui ele tava fazeno papeu de otario, e qui ele não ia ficar gastano grana pra eu mi divertir e da uma de putão, e qui ele não ia pagar passaje pra eu i pra la ficar com as puta. E ficou mi enxeno.

Bixo, meu paça xegou por trais iguau bixo e deu idea: veim ca Devinho, como é qui fais uma porra daquela. Tu qué qui as muler pence qui ajente ta panhano viado é. Ai Devinho falou a merma coiza qui ele tinha acabado de mi dizer.

E meu paça perguntou: veim ca vei. Tu não qué qui Cabeça pegui muler não é. Qui onda é essa.

Deivinho comessou a si isquentar.

E meu paça partiu pra mi: colé pivete. Tu ta caino nos meu conseito. Como é qui tu dexa um viado ti bota colera pivete. As muler agora ta axano qui tu é cazo de Devinho. E ajente vai fica seim tirar essa ponta das coroa.

Porra vei, quando aperta minha mente dimais ou eu dou logo soco na cara ou eu mi saio. Como o paça é meu irmão e ta junto com migo pro qui dé e vinher, eu largei ele la discutino mais Devinho e fui continua minha sinuca qui ja tinha juntado uns brode la pra joga junto.

Eu de costa pros dois so to veno sair um bucado de viado e comessou impurrar meu paça, xingano ele. E to veno duas minina sentada mais Devinho uma de um lado e otra do otro lado acaumano ele qui tava xorano. Quando eu sai pra ve o qui era, meu paça tinha dado um saco no rapais.

Ai fui acudir meu paça qui os viado tava quereno lixar ele, os otro paça qui tava jogano foro tobeim acudir e acabou qui a confuzão feis ajente i imbora, neim era mea noite ainda.

O viado dono da caza disse qui não quiria meu paça la, qui não ia aceita na caza dele nigeim qui tocasse mão nos amigo ou amiga dele. Eu não concordei com a atitude do meu paça, mais falei qui ia com meu paça. Deivinho logo tomou frente qui não quiria qui eu isse.

Ai por eu incistir muito meu paça botou cabeça no luga e pidiu discupa pros viado e pra Devinho. Mais tarde acabou tudo si acaumano mais. So qui os viado ainda ficou mei de cara fexada pra meu paça. Menos o viado qui meu paça tinha cumido mais cedo. Á, esse viado ate falou qui ia leva meu paça pra durmir no hoteu.

Devinho ainda tava nevozo com todo ocorrido e puxei ele pro quintau pra trocar idea com ele e acuamar o sacana pra ele não invoca com migo tobeim e eu sobrar.

Ai dei idea pra ele: pô vei, tu mi comprienda. As coroa tava si botano e eu so fui educado pivete. Isso não qué dizer qui eu ia pegar elas não.

Ai ele respondeu: eu ti vi passar a rola na coxa dela.

Eu respondi: nada pô. Eu fui fala uma coiza no ovido e a rola passou nela.

Fiqei ali dano idea pra ele ate uma zora. E meu paça xegou com duas ceveja. Deu uma pra mi e a otra pra Devinho qui disse qui não quiria ceveja. E meu paça perguntou: diga ai pivete, qui bibida qui tu qué qui eu ti trago agora nessa porra. Ele so respondeu qui não quiria nada. Ai meu paça respondeu: ja sei. Pera qui eu ti trago.

Continuei ali trocano idea com Deivinho e eu consigi dobrar o sacana. Mais ele falou qui não quiria mais conta com meu paça. Qui ele não ia parar de falar mais tobeim não quiria mais conta com ele, purque ele numca apaiou de nigeim.

Ai veim meu paça de la com uma tassa toda viadada, com uma roda de limão na boca da tassa, azeitona no fundo, uma bebida amarelada e duas peda de jelo. Ai ele falou: pô vei, isso aqui é pra tu mi perduar na morau purque eu gosto muito de voce.

Deivinho so respondeu qui tudo beim. Mais quiria ficar um poco com migo purque ajente tava cunveçano. Ai meu paça apertou ombro dele e si saiu.

Ai Deivinho falou pra mi: eu ainda não pude fazer a supreza qui ia fazer pra tu.

Ai pra dexar ele ainda mais de boa depois da confuzão, perguntei: e veim ca vei, o qui ta pegano qui tu não mi fais logo essa supreza.

Ai ele falou: intão vai tomar uma xuverada e veim aqui pra cama desse quarto aqui mermo. Eu fasso a supreza e ajente ja fica nesse quarto pra durmir.

Porra vei, ai eu falei: porra bixo, tô com uma prigiça da porra vei. Eu tomei xuverada era umas treis ora pô. Mi fais logo a supreza e eu tomo depois.

Ele disse qui sim.

Ai entrei por quarto e detei.

Porra bixo, eu durmi e acordei e nada de Devinho. Ai relaxei cançado e durmi firme.

Tempo depois eu acordo mais beim sonolento. Mei qui acordei porque augeim comessou massajia meus pe. O quarto quazi iscuro só deu pra eu ve uma muler mexeno nos meus pe. Tava gostozo pra porra. A muler xupou os dedo dos meus pe, foi subino com a lingua e eu tava com uma mistura de sono com tezão e fiqei ali viajano.

Ate qui a lingua xegou no meu ovo e senti meu ovo entrar tudo na boca dela e ela deu uma xupada gostoza da porra e a rola ja tava dura. E não tinha sido pramiu não, a muler qui tava dexano minha rola daquele jeito. Os cabelo dava pra sentir nas minha coxa, dava pra sentir qui era lizo. E a muler aboncanhou meu pau.

Carai vei, a pica deu uma puçada da porra dento da boca da femi.

Fui garrar na cabeça dela pra sigurar a cabeça e ficar puxano pra ela xupar meu pau, e ela sigurou meus puço e feis meus brasso ficar na cama. A puta dava dava lambida no meu carai, cada xupada gostoza da porra. Lambuzava meu pau com a lingua. Carai, ai eu falei assim: bixo, qui muler puta da xupada gostoza da porra.

A muler foi subino com a lingua pela virilha e barriga e eu ja eim tempo de perder o juizo.

Senti qui ela tava de saia beim curta e tessido fino, bluzinha xea de fiapo. As perna dela tava vistida com auguma parada, dava pra eu sentir tobeim. E ela tava uzano auguma sandalha auta.

E a puta garrou meus mamino e eu fui garrar na cabeça da puta. Ela não dexou e mi feis arriar meus brasso dinovo na cama. Porra ai pencei na ora: bixo, axo qui a supreza qui Deivinho ia fazer pra mi era mandar essa amiga dele vim aqui pro quarto cumer minha rola.

E a safada ja tava mi dexano maluco. E ela aucançou meu percoço e ficou paçano os labio todo melado, xupano minhas orea e meteu a boca no meu quexo. Ai a muler perguntou beim baxim pra mi: posso bejar sua boca.

A vois não era de muler. Ai perguntei: é Devinho. Ele respondeu baxim: nesse momento não. Ai mandei idea pro sacana: vei, ti sai de cima de mi purque não quero problema com Deivinho não. E ele respondeu beim baxim: relaxa gato, por dento é Devinho mais por fora não. Ai pecebi qui era Devinho. Ai falei: intão cala boca puta e mama meu carai. Ai botei a mão na cabeça dele pra impurra pra baxo. O cabelo si moveu um poco.

Ele voutou pra meu pau e continuo mamano gostozo pra porra. Aquele vuto no iscuro paricia de muler mermo. O bom é qui não pricizei de pramiu.

E o sacana si saiu, botou um camizinha no meu pau. Inquanto a borda da camizinha ia passano deceno pelo meu pau, o sacana ia dano uma xupada boa da porra na cabeça do carai.

O sacana vei pra cima de mi e si ajuelho de costa pra botar meu pau no cu dele. Mais não deu muito certo purqui a rola é mea comprida. E ele si levantou um poco e incostou a cabeça do meu carai no rabo. Dislizou um poco pelo cu pra cima e pra baxo. Ele sigurou no mei da minha rola e dexou a cabeça beim no cuzim e foi foçano o cu pra minha rola entrar. E não demorou muito não. Ele foi tirano e botano o cu e a porra dislizou gostozo pra dento. Senti a camizinha istorar e fiqei queto.

Ele tirou o cu da minha rola e quando a porra saiu senti um xero gostozo da porra. So qui sumia logo purque o ar condicionado não dexava. Ai ele ficou mexeno no cu um poco. E devouveu minha rola qui iscurregou dinovo pra dento. E senti dinovo a camizinha istorar la dento. Ele tirou o cu da minha rola e o xero gostozo subiu dinovo. Ele mexeu no cu mais uma veis e devou a rola pra dento e a camizinha deu otra istorada la dento.

E tirei a rola de dento dele e o xero subiu dinovo. Pacei a mão da rola e a camizinha não tinha istorado, e tava todo grudento. Ai pencei: é auguma vidaje dele. Ai falei: pega meu pau e senta vadia.

Ele pegou meu pau e sentou.

Meus paça, qui socada filé da porra. O viado subia e decia no meu pau e a porra do xero foi tomano conta da porra do quarto. As iscurregada da rola pra dento do rabo do viado foi alargano o cu do sacana e a rola iscurregou pra fora. Ele devouveu a rola pra dento e continuo ali se acabano na minha pica.

Ai sigurei na bunda do viado pra ajudar ele na subida e na decida, so sei qui aleim da cuacinha qui ela tava vistido e puxado pro ladim, dos lado da bunda dele tinha um bucado de elastico. Siguei os elastico e fui deceno com a mão pelas coxa pra sentir o qui era. E sentir qui os elastico tava grudado naquelas mea qui vai desde os pe ate eim cima das coxa. O viado tava todo muntado de muler. E a bunda do sacana toda liza ajudava.

Eu ja tava discaçado ja qui jogei sinuca desde a tarde ate di noite. Ai eu impurrei o vaido pra sai de cima de mi, fiqei eim pe do lado da cama e arranqei a camizinha e falei: xupa ai puta.

Devinho neim isperou eu fala duas veis. Detou de brusso eim cima da cama com a cabeça virada botano a cara na minha rola e abocaiou meu pau.

Pô meus paça, vô da uma saida e da uma subida la na rua pra trocar idea com os paça e tobeim a muler ta mea barriu, ta raivoza oje. Mais amanha eu finalizo essa foda ai com o pivete.

Valeu ai pai, é nois.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
M/A
23/11/2017 11:11:47
Tá excelente o conto só que parece que vc desistiu de escrever. Só, espero q nao.
17/11/2017 20:12:18
Você é inteligente. Noto isso pela sua coerência. Beijos!!!
17/11/2017 20:11:40
Se você estudasse, tenho certeza que terias grandes chances. Por que não tenta?? Você tem que idade??
17/11/2017 20:10:29
Que bom que você melhorou depois das dicas. Da pra entender bem melhor. Continue, amigo!!

Online porn video at mobile phone


vimeu cachorro engatado emcadela quistambem comtosou casada e deixei meu genro gozar dentro da buceta sem camisinhacontos eróticos reais nnnPecadoras donos bola xvideoscontos erotico de puta querendo rolamundobicha com lavando a rolagaranhão paquerou a minha mulher e levou para o motel vídeo pornô cornosmulher pelada ao fundo som de colerinhaporno pai brincando de fazer cocegas na filhaxisvido mai bricano co filhocontos eiroticos leilaporngosto muito de praticar zoofiliaSansão todinho nuaconto casada novinha e comida pelo traficante pausudo a forcacontos de incesto mãe pede a filho que depois a Cona e o greloquero vídeo pornô do viado trocando noscoSuper menininhas em contos eroticos 2017 da cidade de campinas gratisMeu marido viaja e meu sobrinho me fodecontos erotico,meu genro me enrrabou dormindoconto relatando como nao resisti ao pausud e fez sexoxxx vdeos gay levou o boizo pra comer em casacontoerotico eu namorada mae e tioMulher gosando muco xvidiosexo oral 2016 nos mamilos bicudos das mulataspai tem pauzao descomunnal e soca tudo no cusiho da filha gostozinhaxvideo pequei porque nao vigieicontos eróticos pegando a gordas e pedreiroseuconfessosogracontos tia marta mete no raboo primeiro amasso a gente nunca esqueceSou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhaxoxotinhas amasiadas na picaeu, minha namorada, minha namorada e meu tioConto erotico gemidos da vizinha perfil hemoraescontos eroticos feita de cadela pelo pai a forçaxvideo garda levano varias gozadapornodoido mulher cabeça pra bsico chupando pirocanovinhas que gostan de fica só de shortinho para ecita paivideos porno cuzao levando pauzao da cabeca enorme chapéu cogumeloxvideos gostosas levanda trepicasWww.contoeroticocomcunhada.com.brConto gay estupro coletivofiume porno antigo do tasaõXisvidio arebentando a coroaputinho brasilero geme muinto dando cuzinho pro amiguinhoxvideos mulher gpstosa por baixo da saia gg kkmamae grita com rola na bućeta peludawww.homem moreno na ambulancia mundobicha.comxvideo mulher uza ceu cu para gurda bola i leitefudendo o cuzao dapropria mae incesto real com caralhudocontos eroticos de gemeas rabudas estupradas por mecanico do pau gigantenegão com a rola da grossura de uma cerveja enfiando todinho no c* da mulata ela chora muito de dor pede para pararvideos arrancando a virgindade da novinha sem piedade que deu por dinheiroprimo não aguentou pau de outro primo Chorão e g******Contos eroticos mamaeeee uii aiicontos de sexo depilando a sogracontos erótico menininha. dama de honra porno provisional com casal apaixonadosborgui falando filho da putanovinha chora mas negao garda a rola nabucetinhaMeu compadre fudeu minha buceta e cuvidio disexe porno yotubecorto eroticosminha esposa gosta de trasa com vaqueroxvideo portugues tia na cuzinhq i eu alisando ela na bucetamorena boa tocando punheta pro cadavermor olha metelão peladalinda socialaite carente trepando com seu genro pauzudoduas lebiaca se beijando devangarcdzinha virei empregadinha de um senhorfudi a egua no curralmulher transando com homem quando ele se enrosca dela no ônibusxvidio gainhaprima safada fode com primo ai mãe pega osdoes