Aquele Segredinho 4 -a rotina do meu cu com a Ju

Um conto erótico de Marcelo
Categoria: Homossexual
Data: 17/07/2019 03:23:52
Última revisão: 26/09/2019 01:06:52
Nota 9.89

Ela (sim, ela) não tinha piedade do meu rabo! E o pior é que, de alguma forma, eu adorava!

Quem mandou namorar uma travesti? Ainda mais uma que só queria comer! Pior ainda, quem mandou ir morar na casa dela?! Podia ter fugido quando descobri que ela não era uma mulher qualquer, que não era como as outras que eu conheci antes. Podia ter dito não quando ela me mandou ficar de quatro pela primeira vez. Podia nunca mais ter ido atrás dela depois daquela noite. Podia não ter aceitado o convite dela pra ir ver uma série só com ela no sofá dela. Podia não ter chupado aquele pau quando ela me mandou. E por fim, podia convencer ela a não me comer mais e deixar eu ser o homem pelo menos uma vez. Mas, naquela altura, já era tarde demais!

O relógio despertava às 6 da manhã, mas, por algum motivo, eu geralmente acordava antes. E geralmente ela estava lá me abraçando por trás com aquela piroca ereta entre as minhas coxas com a ponta esmagando as minha bolas. Nós sempre dormimos nus, então não havia nada pra me defender daquele cacete incestuoso. Pra variar, era comum o meu próprio pau estar animadinho também. Eu podia resistir, né? Podia dizer não! Mas sempre era maior que eu.

- Ju?

- Hmmm

- Não quer me comer?

- Deixa eu dormir Celo…

Eu queria, Ju, mas acontece que o tesão nunca deixou. Eu tentava aliviar meu desejo com uma punheta básica pra não te incomodar, mas não adiantava.

- Ju?

E tu virar de barriga pra cima apontando aquela pica pro teto não ajudava nem um pouco! Eu ficava admirando aquele corpo perfeitamente feminino. O contraste daquele pau naquele corpo de mulher era desconcertante! Aqueles seios do tamanho certos, perfeitos! Aquela carinha de boneca! Aquela voz de menina toda vez que fazia hmmm pra me responder. Aquelas pernas, aí aquelas pernas! Quanta menina daria qualquer coisa pra ter umas pernas daquelas! E os pezinhos perfeitos. Tudo isso em contraste com aquele pau viril, potente e incrivelmente reto!!

Ela não podia ser desse mundo humano e imperfeito. Só uma deusa podia ter um corpo daqueles! Quanto a mim, um mero mortal afortunado, só cabia adorá-la e oferecer minha devoção. Onde melhor pra fazer isso do que naquele mastro majestoso. Era ele o ponto onde melhor poderia fazer minha oração! Assim, com o bumbum pra cima, eu dirigia a minha boca a minha grandiosa Meca!

Não demorava muito até o gigante acordar! E minhas preces serem atendidas na forma de um bom e sonoro tapa bem dado na minha bunda!

Mas, às vezes, meus esforços não conseguiam vencer a preguiça de minha sonolenta divindade. Era comum ela querer que eu pagasse todos os tributos matinais com a minha boca, mas isso não era o bastante para mim!

- Ai, Marcelooo! Por que tu não senta? Tu tá com toda a disposição, eu só quero ficar aqui mais um pouco. Pode fazer o que quiser com a minha pica, mas me deixa aqui!

Eu queria sentir todo o teu poder e não abafá-lo sentando em cima! Então eu parava com tudo. Virava pro lado e esperava.

- Ai, Marcelo! Como tu é cruel…

Silêncio! Eu só podia imaginar a indignação dela: "ele me enche de vontade e agora tá lá parado! Ai que vontade de mandar tomar no cu! Quer saber, eu posso fazer melhor. Tá bom, tu venceu! Vai tomar no cu mesmo!"

- Tá, vira aí!

Dizia ela já praticamente em cima de mim. E lá estava eu adorando minha deusa com as pernas pro ar. O poder daquela pica entrava fundo na carne e contagiava o coração que começava a bater loucamente de alegria.

- Ahhh! Ahhh!

- Isso, geme bebê! Geme gostoso!

Que força! Que tesão! Logo estava tudo terminado. E eu podia voltar a dormir tranquilo e feliz.

- Ah, droga! Vou chegar atrasada no trabalho de novo…

- Bom trabalho, amor!

Logo após o beijo ela se ia.

Uma hora depois era a minha vez de levantar. Tomava uma ducha me arrumava e saia. Na faculdade todos já sabiam que eu tinha uma namorada. Muitos já a conheciam e todos que a conheciam achavam ela muito linda. "Nossa Marcelo, que sorte a tua de poder comer aquela gata maravilhosa! Quem dera ter uma namorada tão gata assim!". Comer? É… bom...

A Ju sempre dizia que era mulher. E não importava se ela tinha algo que as outras mulheres não tinham, ela era mulher e pronto e ninguém podia sequer insinuar algo diferente disso na frente dela. Por isso, mesmo os meus amigos mais próximos, que às vezes nos visitavam, não sabiam do segredinho da Ju.

Ao meio dia eu sempre voltava morto de fome. A regra da casa era que quem chegasse primeiro preparava o almoço, mas independente disso, era certo que eu seria o prato principal.

- Ai Marcelo! Tu cozinha tão bem e faz tão gostoso!

Dizia ela me abraçando por trás enquanto eu mexia a colher na panela. Me dava um beijinho na nuca, um beliscão básico na bunda e esfregava aquele volume na minha bunda. Quando a comida ficava pronta eu me virava e a vara já estava ali me esperando. Ela fazia um sinal apontando o dedo pra baixo, que na nossa linguagem de sinais particular queria dizer chupa.

- Não podemos comer primeiro?

- Sim amor, eu tô louca pra comer!

Lá estava eu de joelhos metendo o primeiro prato do almoço na boca. Era grosso e durinho mas a parte mais externa era macia e sempre estava quentinho. Ela gostava de enfiar ele todo na minha boca só para me ver me engasgar e ficava rindo da minha cara depois. Às vezes ela levantava a pica para eu poder lamber suas bolas. Mas ela sempre, em algum momento, agarrava meus cabelos enquanto gozava ou quando chegava perto disso.

Às vezes tudo terminava com jatos de leite na minha boca, mas, geralmente, ela me mandava pra mesa ou mandava eu ficar de quatro na cadeia. Parecia que eu ia cair a qualquer momento daquela cadeia, minhas mãos ficavam quase juntas dos meus joelhos, porque era o que o assento permitia. Se ela não me segurasse firme pela cintura eu com certeza ia acabar com a cara no chão! Eu me sentia totalmente indefeso naquela posição, totalmente dependente da força e da vontade dela pra me manter equilibrado. Era o brinquedinho dela. Ela metia com força e nem sempre gozava rápido o suficiente pra eu comer antes de ir pra aula. E o pior é que naquela posição não havia como eu me masturbar sem perder o equilíbrio e às vezes eu não conseguia gozar. Às vezes, quando eu via que ia demorar eu até tentava comer enquanto era comido. Mas isso sempre acabava mal.

Normalmente a gente se despedia na porta do prédio. Ela ia pro trabalho e eu pra aula. Andava na rua com aquela sensação de vazio no rabo. O espaço que antes havia sido ocupado pela piroca da Ju demorava a se fechar. Às vezes sentia também uma pequena assadura em volta do cu. "Quem mandou tu gostar dessas coisas?"

A noite variava um pouco, às vezes a gente saia pra beber algo, ou ia no cinema, mas o mais comum era assistir TV. Não demorava muito e lá estava eu de quatro no sofá. Ou de pernas abertas protegendo meu saco das barrigadas que ela dava nele. Tu pensa que aquela mina chegava cansada do trabalho? Que nada! O cansaço era só da boca pra fora. Quando ela tocava em mim a exaustão pedia perdão! E às vezes o meu rabo também! Nunca conseguimos ver um episódio de uma série até o final. Sempre tinha alguma cena que despertava o desejo. Acho até que ela escolhia de propósito séries que tinham apelo sexual. Aquela safada! Sempre me enrolando e me enrrabando.

Depois tomávamos um banho juntos pra economizar água, sabe? Quantas chupadas debaixo daquele chuveiro? Nem Deus deve saber a conta mais. Sim, eu ficava de joelhos vendo todo aquele corpo lindo em cima de mim. Agarrava aquelas perna pra me equilibrar, olhava pra cima como se pedisse permissão. Era lindo de ver aqueles seios daquele ponto de vista e logo depois aqueles olhos azuis me fitando com aquele sorrisinho sarcástico.

- Vamos bebê! Pode mamar!

Depois dela permitir eu sentia aquela pica molhada entrando e saindo da boca e ouvia a safada gemer baixinho, se aproveitando de mim. Depois ela me botava contra a parede, como fazem os policiais pra revistar o suspeito. Mas a revista dela era muito mais profunda e sempre vinha acompanhada de tapas. Minha bunda saia vermelha do banho de tanto tapa. E por fim eu tinha que secar minha deusa com toda a devoção.

Então, cama, finalmente. Dois corpos nus abraçados. Ela tinha um corpo tão quentinho, tão gostoso no inverno, mas no verão… Era comum ela me deixar de bruços e meter o varão. Ou me mandava sentar até cansar. Por fim dormiamos juntinhos e felizes. Prontos pra fazer tudo de novo no dia seguinte.

Essa era nossa rotina nos dias de semana. Nos fins de semana, eu nem te conto...


Este conto recebeu 0 estrelas
Estamos testando um novo formato de votação. O ranqueamento será feito não mais pela média, mas apenas pela soma das notas oferecidas. As notas também serão apenas de uma, duas ou três estrelas. Isso deve evitar que haja quedas repentinas do ranking por conta de ataques por alguém que queira manipular os resultados. Se tiverem dúvidas, .

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
GPR
06/10/2019 13:44:07
Delícia de conto!
MG
13/09/2019 06:16:21
Muito bem escrito... Show.
19/08/2019 02:01:21
Que delicia!
03/08/2019 15:09:57
Muito bem escrito kk
26/07/2019 21:07:13
Muito bom
20/07/2019 10:33:20
Olá, obrigada por sua presença em minha escrivaninha. Quando a este, achei muito bom. Trouxe o sexo sem fronteiras para a mente de quem lê. Existem inúmeras formas de prazer e cada um a obtém da maneira que achar melhor. Como vc encontrou com a Ju. Parabéns, nota 10. Passa lá nos meus contos outra vez e deixa recadinho. Bjus.
20/07/2019 01:27:12
Ain que lindo! Amei
19/07/2019 09:18:15
Bem inusitado esta tua história com a Ju. Enfim, cada um deve viver da forma que lhe proporciona maior prazer. E tu encontrastes nessa transexual. Gostei da narrativa detalhada e sincera. Mereces a nota dez. Esse fetiche é comum em muitos homens, casados até. Espero que tu leias meu relato ¨No motel com um cliente e uma travesti¨. Irás entender porque. Beijocas.
18/07/2019 20:30:48
EXCELENTE.

Online porn video at mobile phone


xvideo novinha transando com pones 2018casada foi brincar de esconde esconde e deu o cu casa dos contosdotado dando leite pra esposa gostosa do corno que tomatudoconto sou casado e adoro um plug anal inflavelapaxonado pelo primo brutamontes 3 contos gayrapazes pegão moças na estradas aforça para fudelasestrupei minha irma na cama do nossos paispegando a baixinhashamolhes pela porno vida de meninas de 19 anos provoquei meu pai calcinhaaprendiz do sexo porno falando palavroespai fode filia emcanto mae trabalhacasada viciada porra relatosincesto com meu vô contosaprendendo a ser puta no tapa/contosporno de lobo mal gozando muito no cu da ovelhinha bundudaelacareca contos eroticos de mullheres carecasrapidinha. crentinha. garotinha. dando. escondida. crente. menina. dando. internednegao pega a loira gostosa de conchinha e corno adorafilme porno das pantera meu tio foi passar um fim de cemana na minha casaqualquer coisa enfio na buceta relatos Pus so a cabecinha xvideosespoza traindo marido c primo delaxvideo nigro xxxvvnpulei o muro da fazenda e a dona mim taradacontos eróticos de marido chega em casa e escuta sua mulher gemendo e brexa o cara comendo o cú delaconto erótico Dulce safadaaliviava me tesao com o filho novinho da vizinhaconto erottico ela me shantageouporno em desenho popai comendo a olivia sem pedir idadexmaster encoxando com gosopeito bicuodo de mulherwww.porno travesris espremendo o proprio peitofilme de sexo com novinha conto as novinha e os novinho com tardezinhachupano ateta dela ela fodendo com tesaoninfomaníaca viciada em zoofiliareymer ,eroticopornodoidolucianaporno gey contos eroticos priminho inosentexxxvideos sempre tive uma recaida por minha cunhadacontos eróticos gay o tratador de cavalobusetas alagadas de galacomo cosegui zap de gay velho de 50 anofotos das nobvinhas do bumbumzaowww.xxvideo calvolga na anacondaconto erotico huntergirls71ele a enrabala e ela a cagar.se pornodeixou até ele chupar o pescoço dela porque a pessoa só deixa quando está bem estigado aliMassagem acaba em fio terra ea mulher flagaconto gay deixou o pau amolecer dentro da minha bundacontos eiroticos leilapornDeixei minha irma chatinha brincar com minha rola xvideoputa de maceio alagoas xinga marido de corno quer outra rolacosquinha nos pelos pulvianos xvideosminha esposa dis q ta gosano filme pornoContos erroticos de empragada chinezabucerudas branca vs negapornodoidoteste de fidelidadecontoseroticosvariasgosadasmeu macho negrao comedor de casal bipassivo contos erotico.contos eroticos carcereiro tarado/estuprado no presídioXVídeo pornô irmão não dispensa a b******** da irmãcontos eroticos meu padrasto cavaloa bundinha avanço preta gorda dos peitão gorda rabocontos eiroticos leilapornsexo vaginal rola soltando guichadas de porameninas sendo encoxadas no onibus lotado/casadoscontosmeu patrao me enraba todo dia contosesfregou e gosou na xeca da amiga uhhhver vidios porno da xvidio mulher veste marido com langeri e deixa ele para o amante fuderxvideo negao acoxa mulher onibusassistir porno online o sogro e a nora no celeirofio terra contosver vidio d padrasto dotado fz sexo com entiado dormindoconto de estrupo bem excitante entre novinho da família chorando com a pica no ci apertadocontos erotico pomba gira me fez putarelatos de corno lambedorfilme porno com lesbica se chupando e gemendo nuito grAtis pra assistirgay paraplegico sendo fodido por pau grandepornô mulher começando a ficar mexendo falando Bom dia Ana movimentando movimentandoconto gay do pedreiro que comeu o branquinhoxvideos jairinhoo bahianoUm fotgrafo tirou da mulher negra nua depois que ele vio vicou de pau doro e emfio a pica nelaWWW XVIDEOS VACAMECANICA